A Imagem de Deus no Homem

Imagem de Deus no Homem: ontem, hoje e amanhã

Texto-chave: Gênesis 1:26,27

 

“Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.”

 

Texto baseado em um sermão pregado nas dependências do Hotel Pantanal,  05 de janeiro de 2009.

Boca do Acre – AM.

 

INTRODUÇÃO

Estudar a imagem de Deus no homem não é muito comum entre os estudiosos, mas é o que faremos hoje pela graça de Deus, tendo em vista que este tema é muito oportuno para considerarmos quem realmente nós somos. O grande problema do homem é que ele não se conhece; não conhece o seu semelhante, tampouco o seu Deus. Quanto a estas coisas, posso lhes garantir que ninguém é suficiente. O único lugar que pode nos mostrar quem realmente somos nós, os seres humanos é a Palavra de Deus. Tendo por base esta revelação deixada por nosso Pai é que passo a desenvolver este estudo da imagem de Deus.

Antes de mais nada, precisamos entender o significado da Palavra imagem, que pode ser definida como a representação visual, integral ou imaginada de um ser , um lugar, um objeto.

A Bíblia nos afirma que a humanidade foi criada à imagem de Deus, conforme a sua semelhança; então, quer queira quer não, nós representamos a imagem do próprio Deus. Entender o que significa isto é o que pretendemos neste estudo. Para isto, usaremos o exemplo de um espelho.

O espelho é o melhor objeto para dar a noção de imagem. A imagem de algo em um espelho é simetricamente oposta, mas representa com perfeição o objeto (dependendo do espelho). A imagem não pode ser idêntica no sentido de posição, porque assim sendo não seria uma representação, mas seria o próprio objeto. É por isso que a imagem está oposta ao real objeto, mas dependendo da qualidade do espelho, ela pode refletir de maneira real o objeto.

Considere um espelho de excelente qualidade com uma lâmpada de 100 volts na sua frente. Como ficaria a imagem desta lâmpada? Refletiria um intenso brilho. Imagine que este espelho quebrou e ao se quebrar ficou mais áspero, mais rugoso e menos transparente; ao colocar a lâmpada diante dele, você acha que refletiria da mesma forma? Com certeza, não, teria uma imagem totalmente distorcida da lâmpada. Mas se este espelho fosse repentinamente restaurado em seus pedaços; reconstituído, porém, ainda rugoso e opaco. Como ficaria o brilho, se fosse colocado exposto ao sol? Seria visto, mas não ostentaria o mesmo brilho e o mesmo fulgor. Contudo, imagine que o espelho logo em seguida, passasse por um processo de restauração total, ao ponto de se tornar tão transparente ao ponto de mostrar uma imagem cristalina, bem nítida, sem distorções, sem acidentes, sem qualquer distúrbio. Como ficaria a imagem deste espelho se fosse colocado diante do sol? Brilharia, brilharia e brilharia. Deixaria um extremo fulgor e brilho que ofuscaria os olhos de qualquer pessoa.

Pois prestem atenção no exemplo, porque este espelho é uma ilustração que representa cada um de nós.

Passemos a estudar paulatinamente o que a Bíblia nos ensina sobre a imagem de Deus (imago Dei).

 

O termo – A palavra imagem de Deus é tomada de diversos significados pela maioria dos teólogos, conforme nos mostra o escritor GRONINGEN[i].

Por exemplo, para Berkhof a imagem significa que o homem tinha certos dons como conhecimento verdadeiro, justiça, santidade, poderes intelectuais, liberdade moral, espiritualidade e imortalidade. Retrata o homem como um “recipiente”, um vaso onde Deus despeja estes elementos. James Orr acredita que esta imagem confere poderes inerentes ao homem, tornando-a semelhante à idéia errônea do humanismo. Calvino fala da imagem como sendo um reflexo, como em um espelho (idéia esta adotada por mim). Berkouwer disse que o conceito central da imagem era o relacionamento. Para Hoekema o homem deveria espelhar e representar Deus, usando os termos responsabilidade e dependência, pois para espelhar ele dependia diretamente dos raios de Deus e para representar ele precisava ter responsabilidade para fazer com que a sua representação fosse realmente aquilo que Deus é. Para Groningen a imagem pode apresentar pelo menos 5 tipos básicos de apresentação: (1) imagem se refere aos termos naturais e semelhança aos termos espirituais; (2) Imagem como faculdades mentais e espirituais; (3) imagem como semelhança física; (4) imagem do homem como representante de Deus; (5) imagem como relacionamento.

 

Vamos discorrer sobre a imagem conforme a ilustração do espelho, fazendo a seguinte proposição:

 

A imagem de Deus no homem é o aspecto essencial que une o homem a Deus e que precisa estar bem estabelecida para representar a verdadeira vontade de Deus em nossas vidas.

A imagem de Deus ao longo da história da humanidade assumiu vários estágios e terá como último estágio ou uma total fragmentação do nosso espelho ou uma reconstituição plena gerando brilho sem igual.

 

1). A Imagem Original – A imagem original é a imagem que o homem apresentou quando da sua criação.  É a imagem que Deus colocou em nossos pais Adão e Eva.

1 .a) Envolve homem e mulher. Adão, nosso pai terreno, expressava em seu ser algo de grande valor: o sopro de Deus, que ao atingir o barro moldado deu vida a ele, passando a se tornar alma vivente (Gn 2:7). Este algo de grande valor que lhe dava vida é o que nós podemos chamar de imagem de Deus. Mas para os machistas de plantão, a imagem não se restringe ao homem, ao macho; mas é inerente ao homem e à mulher. As mulheres também refletem a imagem de Deus. (Confere Gênesis 1:27; 5:1-2).

  1. b). Imagem e semelhança não são termos distintos[ii]quando diz que fomos criados à imagem e semelhança isso implica que o autor apenas está querendo expressar um conceito sinônimo, o que chamamos de paralelismo sinônimo. Quando falamos de semelhança, dizemos de algo parecido; a idéia é que nos parecemos com Deus, em alguns de seus aspectos comunicáveis; a palavra imagem implica que nós refletimos a imagem de Deus.

A idéia é a de um espelho – confira 2 Coríntios 3:18.

  1. c). O termo imagem não signigica que somos iguais a deuses- Só há um Deus; nós não podemos cair no erro dos Mórmons de que seremos deuses, de que somos um com Deus. Só há um Deus conforme Dt. 6:4.

 

  1. d). Imagem fala a favor de domínio sobre a criação (Gênesis 1:26).
  2. e) Imagem fala a favor de capacidades psicólogicas[iii]raciocínio, moral, intelecto, vontade, reflexão. A inocência de Adão e Eva não diz respeito a pobres crianças que não sabiam o que fazer; pelo contrário eram seres altamente inteligentes e maduros.
  3. f). A imagem original fala de um homem usando plenamente sua capacidade – exemplos na vida de Adão nomeando os animais, regendo o jardim, tendo comunhão com Deus. Algumas pessoas acreditam que as faces de Adão e Eva eram brilhantes, tendo em vista que estavam em contato contínuo com o seu criador. Os animais se lhe submetiam; ele juntamente com toda a criação era algo chamado de muito bom (Gn 1:31).
    Em Eclesiastes lemos sobre o relacionamento de Deus com o homem (Eclesiastes 7:29).
  4. g). A imagem original fala de um homem em pleno relacionamento com Deus. Deus mantinha comunhão com o homem; havia justiça; havia retidão. Não havia separação; não havia véu para cobrir a nudez; não havia vergonha, pois não havia pecado; o homem se relacionava com o seu Deus. Eis aí o primeiro espelho retratado: um espelho perfeito com uma lâmpada de 100 volts refletindo sua glória.

 

  1. A imagem pervertida – Com a queda do homem esta imagem de Deus foi pervertida em seu relacionamento pois o homem já não tinha comunhão com o paraíso de Deus; nem com o próprio Deus; sua comunhão passava a diminuir e a morte chegava ao homem.

Quebrava-se o espelho; tornava-se opaco; os seus fragmentos ainda conseguiam expressar algo da imagem divina, mas os aspectos espirituais, de relacionamento, de justiça, foram perdidos. A Imagem de Deus no homem estava caótica e o homem não tinha como reconstituir os pedaços de seu espelho para refletir o Deus vivo.

No entanto, observe o que a Bíblia diz:

Em Gênesis 5:1-3 vemos a imagem continuar por meio dos descendentes da humanidade. Observe que Sete apresentava a imagem de seu pai. De certa forma o corpo em sua relação com a alma também faz parte da imagem de Deus. Olhando o texto bíblico com cuidado observamos que, de fato, o homem é a própria imagem de Deus.

Avançando na história da revelação, vemos em Gênesis 9:6 que mesmo caído o homem continuava manifestando a imagem de Deus e por isso deveria respeitar a vida, que era o sopro de Deus no homem. Quem matasse seu semelhante estava matando a própria imagem de Deus e deveria responder com sua própria vida. É por isso que Deus abomina o homicídio; abomina e odeia aqueles que vão contra o homem. Você pode menosprezar o menor dos homens, mesmo assim, estará menosprezando a imagem de Deus.

A imagem de Deus como eu já falei deveria ser respeitada naquilo que ele constituiu: o casamento entre homem e mulher. É por isso que qualquer relação sexual contrária a esta deveria ser punida com a própria morte. É por isso que Deus mandou matar pessoas com relacionamentos extra-conjugais; homossexuais; zoofílicos, entre outros. Pois ao fazer, tais pessoas estão indo contra a imagem de Deus. O sexto mandamento: “Não matarás” é um aviso de Deus ao homem para que respeite a sua imagem.

Eis o segundo espelho; o espelho quebrado e opacificado. Um véu foi posto entre Deus e os homens; havia separação. O homem já não tinha mais acesso direto a Deus. Alguns tiveram oportunidade de manifestar brilho quando estiveram com Deus, como Moisés; mas em geral, a humanidade sem a sua imagem original e sem alguém para reconstituí-la estava desolada.

A imortalidade pertence essencialmente a Deus (I Timóteo 6:16), mas através do seu sopro e do seu espírito ele a passou aos homens. E em Cristo ele garantiu vida eterna aos que crêem; mas a eternidade continuará no coração dos que não crêem, eternamente distorcida, sem opção, sofrendo as dores de não refletir Deus; padecendo para todo o sempre.

 

  1. A imagem restaurada – mas eis que Deus nos trouxe a oportunidade de termos nossa imagem restaurada. Não por nós mesmos porque somos incapazes, mas por meio do seu filho Jesus Cristo, o sol da justiça em nossos corações. Este Jesus apresenta uma diferença entre a expressão de sua imagem e a nossa; Jesus é a expressa imagem de Deus; a total e perfeita revelação do Pai; nós somos apenas semelhantes a Cristo; não superiores a ele; não iguais a ele; ele se doou por nós e nos garantiu a restauração da imagem. (Hebreus 1:3).

Lemos sobre esta imagem restaurada em Efésios 4:24 e Colossenses 3:10. Em Cristo, a plena imagem do Senhor, tivemos restauração; mas continuamos em nosso corpo mortal e perecível, expressando ainda o pecado em nosso ser; mas a nossa imagem é restaurada não porque somos bons, mas porque Cristo passa a viver em nós e assim a luz do sol da justiça transforma-nos e nos faz brilhar, mesmo que um brilho opaco, mas este é o mandamento de Jesus “Brilhe a vossa luz”. “Eu sou a luz do mundo” e eu estou em vocês por isso vocês também são a luz do mundo. Eis o terceiro espelho, como nos diz o apóstolo Paulo em I Coríntios 13:12. Uma luz solar refletindo em nós, mesmo com imperfeições, mas o reflexo para o mundo é o da luz solar, procurando expressar a imagem do Filho (Efésios 4:24).

 

  1. A imagem plenificada e glorificada – Apocalipse 22:1-5 nos fala sobre isto. Nossos corpos corruptíveis serão glorificados; seremos semelhantes a Jesus; em I Coríntios 15:53 temos a chave para a interpretação da verdadeira imagem, que significa a transformação do corpo perecível em corpo que não perece; um corpo eterno. Em I João 3:2 nos fala que nós o veremos como ele é. Sabe porque este último espelho e o terceiro tem projetados em suas faces o sol e não uma lâmpada; porque agora Deus não vê a mera estrutura em nossas vidas; o que nós refletimos não somos nós mesmos, mas a pessoa do seu Filho. Ele que é perfeito, o sol da justiça, o nosso eterno, brilhará para sempre e o brilho que teremos em nós será o seu brilho, o brilho de Nosso Senhor; oh quão glorioso será este dia, quando nenhuma imperfeição haverá em nosso espelho e refletiremos totalmente o nosso Deus.

 

 

Conclusão 

Eu espero que você já esteja na condição do terceiro espelho, restaurado, mas se não minha oração é que o Senhor possa transformá-lo para que você não possa ser um eterno espelho quebrado, sem brilho, sofrendo para todo o sempre por não revelar a essência de Deus. Hoje sofremos, mas imagine sofrer toda a eternidade. Ao passo que envelheço fico alegre porque cada dia mais me aproximo do dia de expressar a perfeita imagem de Deus; e você tem esta mesma esperança ou fica apavorado ao pensar no dia da sua morte; pense nos espelhos; pense em Jesus; deixe ele brilhar em seu espelho e serás salvo; terás garantia de salvação. Basta crer! E receberás brilho. Que Deus nos abençoe. Amém.

________________________________________________________________

 

[i] GRONINGEN, Gerard Van. Criação e Consumação – Volume 1. São Paulo: Cultura Cristã, 2002, PP. 80-85.

[ii] Lloyd-Jones, D. Martyn. Deus o Pai, Deus o Filho. São Paulo: PES, 1997, capítulo 15.

[iii] Lloyd-Jones, idem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s