Enviados de Deus / enviados dos homens.

Paulo

Enviados de Deus; enviados do homem.

Divisa: Gênesis 45:8 a

 “Assim, não fostes vós que me enviastes para cá, e sim Deus.”

 

Hoje nós iremos aprender mais uma vez com a vida do apóstolo Paulo. E nós podemos aprender muito do Senhor por meio da vida deste servo do Senhor, através de sua carta aos crentes da Galácia.

 

Nossa meditação hoje será baseada nos versos 1 e 2 desta carta:

 

Gálatas 1:1,2 “Paulo, apóstolo, não da parte de homens, nem por intermédio de homem algum, mas por Jesus Cristo e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos, e todos os irmãos meus companheiros, às igrejas da Galácia.”

 

É uma carta escrita amorosamente pelo apóstolo Paulo, desenvolvendo o tema da justificação pela fé somente, uma defesa apresentada diante dos irmãos quanto aos falsos apóstolos que se encontravam naquela igreja, os quais tentavam deturpar a imagem de Paulo.

 

Um CONSELHEIRO, AMIGO, IRMÃO, EXPERIENTE, INTELIGENTE, CHEIO DE TEMOR A DEUS não seria digno de receber atenção?

  • Ao escrever esta carta, Paulo não esperava pela atenção dos irmãos; tampouco escrevia porque recebia atenção. Não vivia choramingando pelos cantos dizendo que estava perdendo terreno para Apolo, Pedro ou outro líder. Ele não vivia lamentando. “Poxa vida, os irmãos só querem saber das mensagens do Apolo. Ninguém mais me dá atenção!”. Não reclamava que estava sendo desprezado ou perseguido.
  • Ele escrevia porque era ordenado pelo Senhor, visando a edificação dos irmãos, exortando-os em amor.
  • Geralmente quando nos afastamos de uma determinada igreja; quando viajamos para outras cidades, temos a tendência de perder o contato com aqueles irmãos com os quais tínhamos comunhão outrora.
  • Irmãos em Cristo, aprendamos com o maior intelectual do primeiro século:

a). Ele não se isolou.

b). Não ficou chorando por falta de atenção.

c). Manteve comunicação, mesmo distante.

d). Sua intenção nesta carta é similar quando de sua passagem pela Galácia: confirmando, exortando, edificando e explicando as Sagradas Escrituras aos irmãos (Atos 18:23).

 

Tão bom seria se voltássemos a escrever cartas sinceras, verdadeiras, autênticas e amorosas a nossos irmãos que estão longe. Como seria confortante. Uma grande lição que devemos sacar desse texto é a seguinte: não espere a atitude do outro. Vá e faça, não visando seu lucro, mas o do outro.

 

Nós iremos perceber a IDENTIFICAÇÃO DE PAULO com os gentios.

SAULO = nome hebraico

PAULO = nome grego.

Atos 13:9. O apóstolo dos gentios se identifica com os gentios. A partir do capítulo 13 todas as referências aos apóstolos tratam-no como Paulo. O Saulo fariseu ficou para trás; agora Paulo, o apóstolo dos gentios entra em ação (Atos 13:9) pra valer e não fica cometendo incoerências com os dois grupos (judeus e gentios). Ele passa a ser Paulo, tanto se referindo a judeus quanto a gentios.

 

  • Paulo se apresenta como um enviado (relacionado como servo). Ele não é um desocupado; não é alguém que está para cuidar dos seus interesses. O apóstolo é um enviado por alguém para cuidar dos interesses desse alguém, que no caso trata-se de coisas espirituais (Atos 9:15,16).
  • Relação do apostolado com a função de servo – eu ainda não tinha percebido esta associação e agora após reler o contexto com mais clareza, vejo-o perfeitamente (Atos capítulo 9, versos 15 e 16).

Agora observe melhor o envio de Paulo aos gentios (os gálatas eram gentios).

Atos 22:14-21. Paulo e Lísias (guarda romano em Jerusalém). 22:21 – “EU TE ENVIEI PARA LONGE AOS GENTIOS”.

Em Romanos 1:16. A salvação que engloba a justificação pela fé é primeiro do judeu (Saulo) e depois do gentio (Paulo).

Atos 26:16-18. (Agripa) Salvação aos gentios; herança; separação em Cristo. Mediante ordem de Cristo foi enviado.

 

  • NÃO POR HOMENS. (Gálatas 1:15,16). Não foi coisa de homem, nem algo que surgiu de uma disposição e de planos humanos. Porque pensando agir por Deus este Paulo agia por homens (matava, encarcerava, perseguia Jesus e a igreja). Não era da parte de instituição humana como o era antigamente o APÓSTOLO DOS FARISEUS (do judaísmo); dos homens. Veja os detalhes:

 

a). Paulo vivia como fariseu, que era a seita mais severa (era um dos homens). Diga-se de passagem, Paulo era um dos melhores fariseus de sua época. (Gálatas 1:13,14).

b). Paulo foi enviado por fariseus (Gálatas 1:9-12).

c). O envio foi por parte do homem e por isso foi equivocado, pois o coração do homem é enganoso. Paulo tinha ódio de Cristo e dos cristãos, pois os homens que haviam matado Cristo (os seus mestres farisaicos) o orientaram a perseguir os cristãos (Atos 26:9-12).

 

Afinal, o que faz o envio da parte dos homens?

  • Persegue Jesus ao perseguir a sua igreja.
  • Extrapola as fronteiras para perseguir os contrários.
  • É autorizado por líderes humanos para cometer barbáries (mesmo que estas barbáries ocorram em nome de Deus): prender, matar, perseguir, votar contra; castigar; obrigar a blasfemar; impor; subjugar; maltratar.
  • Perceba o resultado oriundo da ira do envio da parte dos homens: COMISSIONADO; AUTORIZADO; ENVIADO (por cartas).

 

Ao corrermos mais um pouquinho com nossa linha de raciocínio chegaremos à conclusão de que o ENVIO DA PARTE DO HOMEM começa no próprio homem. É lógico que você vai por algum homem e geralmente este homem é a manifestação de você mesmo e não do outro. Paulo também foi da parte dele próprio.

Confira Atos 9:1,2 e veja que a iniciativa de pedir as cartas é de Paulo. Paulo foi por iniciativa própria; quem o enviou foi ele próprio, pois este era seu desejo.

 

NEM DE HOMEM ALGUM

 

  • De mim mesmo (Atos 9:1,2).
  • De Ananias (por ser porta-voz de Deus).
  • Dos apóstolos – Paulo nem os viu inicialmente.
  • Gamaliel (seu mestre). Já estava em outro caminho (22:3).

 

LIÇÃO: Quando o homem nos envia tendemos a errar e corremos sério risco porque os homens são falhos, mas Deus não é (Ele é perfeito).

Desconfie de alguém que diz: “Vá para o seminário”, se não há obras ou evidências de que Deus confirmou isto em sua vida. “Faça Direito”; “faça Medicina”; “case com fulano”; “faça isso”; “faça aquilo”. Não espere pelo que os homens dizem. Sempre se paute pela vontade de Deus. Se for da vontade de Deus vai se confirmar, do contrário nada ocorrerá. (Jó 42:1,2).

Exemplo de quando um homem envia:

1). É contra a Palavra de Deus

a). Paulo.

b). Profeta I Reis 13:1-32.

Foram além do Evangelho (Gálatas 1:8). Não pesquisam. Vão só porque alguém mandou. Não buscam a direção de Deus.

 

PROVAS DE QUE ALGUÉM ESTÁ SENDO ENVIADO POR HOMENS.

 

  • Desobedece a Palavra de Deus e segue cabalmente o ensino do homem (mesmo que esteja errado).

Hoje dizemos: “eu sou da escola de fulano”; “eu prefiro beltrano”; “sou calvinista”; “sou arminiano”. O perigo que corremos é cair nos mesmos erros dos nossos mestres. É bom termos mestres, mas o nosso mestre soberano é o Senhor. E a sua cartilha de ensino que nunca erra é a Palavra de Deus.

 

POR ISSO PAULO DIZ: da parte de Deus Pai e Jesus Cristo, os quais o chamaram.

Paulo é um enviado de Deus. Tinha essa convicção e influenciou pessoas como políticos , Pedro, Barnabé, gentios, entre outros. Sua missão era superior e absoluta. Por isso ele pôde dizer: “completei a carreira”.

Ele se identifica com o Pai e com o Filho. O Pai, este que ressuscitou o Filho. E era justamente esta a base da pregação do apóstolo Paulo. O Filho ressurreto e o Pai amoroso e poderoso, com quem temos comunhão. Alguns negam a ressurreição de Jesus (apóstolos dos homens e do diabo).

Os irmãos que estavam com Paulo (possivelmente em Jerusalém) também tinham comunhão.

Você sabe qual é a base da verdadeira comunhão? (I João 1:3).

– A ênfase do texto é no Cristo vivo, ressurreto, poderoso, presente, que comunga com o homem, que tem comunhão e intimidade com o Pai, que tem intimidade com os seus eleitos, com os seus filhos, com os seus co-irmãos.

Como saber que estamos nesta comunhão  (que era a base da Igreja primitiva – atos 2:42)?

a). Aceitamos o Cristo ressurreto;

b). Não andamos nas trevas;

c). Temos a certeza da purificação;

d). Não nos consideramos perfeitos;

e). Confessamos os pecados;

f). Temos comunhão com os irmãos que também professam o Pai e o Filho. (A Igreja da Galácia não mantinha comunhão – Gálatas 1:5).

 

A base do Evangelho é a comunhão com o Pai e com o Filho, doutrinariamente e em submissão ao nosso envio ao mundo (João 17:18).

Porém se estivermos com o Pai e com o Filho também partilharemos da comunhão com os irmãos. (João 17:20,21).

Quem tem enviado você? Você tem comunhão com Deus? Com os irmãos? Tem vida santa? Não fala mal da Igreja? Então você também é enviado de Deus. Amém!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s