Sabedoria louca e loucura sábia

Sabedoria louca e Loucura sábia.

“Onde está o sábio, onde o inquiridor deste século? Porventura, não tornou Deus louca a sabedoria do mundo? Visto como na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura da pregação.”

(1 Coríntios 1:19-20)

loucura

 

Introdução:

A humanidade tem o costume de valorizar o que é belo e sábio. Assim, a estética toma lugar em nossos dias, ao ponto de as pessoas buscarem a qualquer preço a beleza física, a demonstração da sua anatomia, visando atrair os demais com isto. Por outro lado, a Filosofia e tantas outras disciplinas do saber que buscam a sabedoria fazem muitos PhDs, doutores, mestres e intelectuais que são respeitados pela sua erudição e destaque. Muitos correm atrás disto: fama, beleza, sabedoria e reconhecimento público.

A sabedoria do homem nos tem trazido muitos benefícios; aumento da expectativa média de vida; a medicina biomolecular, com muitas perspectivas de tratamento para doenças até então incuráveis conseguiu muitos avanços na última década; a sofisticação tecnológica, entre outras coisas têm ajudado a humanidade a ter mais privilégios, coisas que outrora eram inimagináveis. Com todos os benefícios, entretanto desta suposta sabedoria humana, que iremos chamar doravante de humanismo, ela se perdeu em muitas vielas e gerou muitas anomalias no próprio homem que se julga sábio.

Esta noite, iremos observar como Deus tornou louca a sabedoria do homem. Eu me propus a desenvolver este tema com base numa sugestão do Pr. Agamenon Lucas em um de seus estudos.

Ao mesmo tempo que analisaremos esta temática, também poderemos ver como algo impossível de ser concebido pelo homem carnal é o cerne da verdadeira sabedoria. Este algo inconcebível é Cristo crucificado, proclamado pela pregação do Evangelho, o qual ressuscitou e hoje está vivo. Veremos como esta aparente loucura aos olhos do mundo é a maior fonte de sabedoria existente; na verdade, a única sabedoria, aquela que vem do Todo Sábio, o nosso Criador, o Senhor Deus.

Por que a sabedoria se tornou louca?

Ao analisarmos com atenção a pergunta acima, veremos que não é fácil respondê-la. Aparentemente, alguns poderiam entender que foi um mero capricho divino; outros não acreditam que isto seja verdade; outros acham que foram as atitudes dos homens; mas se analisarmos bem o contexto, poderemos chegar a uma resposta satisfatória.

Leiamos com atenção 1 Coríntios 1:20: “Visto como na sabedoria de Deus o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura da pregação.”

Perceba que a razão pela qual Deus ter tornado a sabedoria do mundo louca é o fato de o mundo não ter conhecido a Deus por sua própria sabedoria. Desde o Éden, as faculdades intelectuais do homem visavam atender à Soberana Vontade de Deus e glorificá-lo por meio de suas ações. Observe que as atividades de administração e nomeação concedidas a Adão não visavam à própria glória de Adão, nem a sua auto-estima; era algo que aumentava sua estima em Deus; sua satisfação no seu Criador; por meio da presença divina, Adão no exercício de suas atividades edênicas, cada vez mais aumentava sua intimidade com o Altíssimo e conhecia o seu Criador; a sabedoria de Deus, ao ser graciosamente derramada na mente de Adão, fazia com que qualquer obra e esforço do seu intelecto contribuísse de sua parte para conhecer o caráter de Deus e da parte de Deus, no sentido de ser glorificado.

A priori, a causa da sabedoria humana ter se tornada louca é a queda do homem, como conseqüência do pecado.

A posteriori, à medida que ia crescendo em sua sabedoria, o homem tentava tomar o lugar de Deus; queria ser o Criador e não a criatura; queria ser o soberano, não o dependente. À medida que o homem tentava de maneira inescrupulosa se apossar da glória que é única e exclusivamente devida a Deus, então o Senhor Deus mostrou que o Todo-Sábio e Todo-Glorioso é Ele próprio, subvertendo desta forma a sabedoria humana, tornando-a louca e nula em seus efeitos e ganhos.

 

  1. A SABEDORIA LOUCA

1.1 – A sabedoria humana é louca porque ela nunca leva a um conhecimento de Deus; na verdade ela afasta o homem de Deus.

Observe a história da humanidade e verás como o homem finda não reconhecendo a Deus, quando está cheio de sua sabedoria. Observe os homens do período pré-diluviano: casavam-se, davam-se em casamento. Mas naquela época, que é tida como uma época de quase total ignorância da parte dos homens, podemos observar que eles tinham um sistema de conhecimento altamente evoluído; eles desenvolveram o conhecimento de instrumentos musicais, de técnicas de pecuária, agricultura, de lapidação de materiais preciosos; de formação de instrumentos metálicos; construção de cidades, etc. E cheios desta sabedoria como eram estes homens? Sem Deus, zombadores, cheios de orgulho, paixões, lascívia e desprezo pela pregação da Palavra. Noé foi vítima de muita zombaria. A sabedoria do mundo e o desenvolvimento de técnicas não geraram nenhum conhecimento de Deus nem salvação entre os homens da época de Noé. Somente Noé e sua família foram salvos; o restante da humanidade morreu com sua sabedoria tola; com sua sabedoria louca; Deus tornou louca a sabedoria do homem, porque mesmo com tantas provas naturais de sua existência o homem negou a sua presença; negou os seus mandamentos e decretos e morreu cheio da vã sabedoria antropológica. Por quê? Vejamos em Gênesis 6:5 “Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração.”

Outro exemplo é o dos construtores da torre de Babel; havia um projeto arquitetônico de uma cidade com uma grande torre; o homem esqueceu a instrução do Senhor, com relação ao dilúvio; desobedeceu-o em sua ordem de espalhar-se sobre a terra; a sua grande sabedoria foi contra a vontade de Deus; resultado: anulação da sabedoria, por meio da confusão da linguagem.

Mais um exemplo disto é o movimento chamado Iluminismo, no século XVIII, onde segundo eles o homem deveria abandonar as idéias divinas e colocar em prática as idéias humanas; deixaram de pensar colocando Deus em primeiro plano; e resolveram fazer a vontade humana; mediante uma nova luz, vinda da raiz grega e romana, que em sua arte, filosofia e política, desprezavam a Deus. A luz do iluminismo era trevas e os ideais da revolução francesa de liberdade, igualdade e fraternidade se transformaram em escravidão, desigualdade e inimizade. Com base na sabedoria do homem os estudiosos da época começaram a duvidar da Bíblia e a questioná-la. Resultado: o homem se afastou mais de Deus. A sabedoria do homem se transformou em loucura, pois afastou mais o homem de Deus.

A sabedoria louca do homem, que mesmo vendo as evidências natureza o negaram com sua própria sabedoria. Exemplos: Charles Darwin, que negou a criação divina; Nietzsche, que negou a existência de um sentido e apregoou que Deus estava morto (na verdade, inexistente); morreu agonizando; sabedoria louca, existente na vida de Bertrand Russell; sabedoria louca, na vida de Sartre, que era ateu; sabedoria louca na vida do delirante Dawkins, o qual disse que Deus era um delírio; este, que é o maior ateu da atualidade, na verdade é o mais tolo e louco do mundo, pois nega a Deus, mesmo com tanto conhecimento humano.

1.2. A sabedoria humana tornou-se louca porque estava cheia de orgulho e visava a glória do próprio homem, onde mais importante do que tudo era o homem sentir-se bem consigo mesmo e realizado com a satisfação de sua própria vontade.

Observemos Provérbios 3:5 b; 7 – “Não te estribes no teu próprio entendimento”; “não sejas sábio aos teus próprios olhos;”

Um exemplo bem claro é o de Nabucodonosor, que foi um grande estadista, um grande conquistador, um homem que colocou toda a sabedoria do mundo a seu serviço; um homem cheio de intelectuais à sua disposição; um homem que construiu cidades; conquistou reinos; aniquilou reis; expandiu a cultura caldaica. Mas, a Bíblia nos mostra qual era a base desta expansão; não era a busca da glória de Deus e sim da glória humana. Vejamos como a Bíblia deixa isto bem claro em Daniel 4:30-32. Nabucodonosor reteve a glória para si e Deus o humilhou fazendo-o chegar à loucura, comendo capim, vivendo como animal, de maneira licantrópica. A sabedoria e o poder do homem é loucura. O verso 34 nos mostra que Deus está acima de todos e que o homem que colocar sua sabedoria acima de Deus se estribará e terá sua sabedoria tornada em loucura. Sabedoria louca.

Ao olharmos para a vida de Herodes, podemos ver detalhes de orgulho, quando foi comparado a Deus (encheu-se de si, achou bom ser elevado a um grau de divindade, de superioridade). É isto que o humanismo faz: ele leva os homens a pensarem que são os mais sábios do mundo; que conhecem todas as verdades; que são melhores que os outros; que podem fazer tudo o que quiserem; que são semi-deuses. Ao agir assim, tais homens colocam-se acima da ética, acima de tudo e de todos e buscam desenfreadamente a glória por meio da sabedoria. Veja como Deus tornou louca a sabedoria e o orgulho de Herodes em Atos 12:21-23: “Em dia designado, Herodes, vestido de trajo real, assentado no trono, dirigiu-lhes a palavra; e o povo clamava: É voz de um deus, e não de homem! No mesmo instante, um anjo do Senhor o feriu, por ele não haver dado glória a Deus; e, comido de vermes, expirou.” Sabedoria louca.

Outro exemplo desta sabedoria louca está em Nero, que mandou matar a própria mãe deu cabo de sua própria vida tragicamente por meio do suicídio; está em Napoleão Bonaparte, que morreu tentando conquistar o mundo; está em Hitler que cheio de orgulho, foi um grande estadista, mas se matou por não suportar a derrota do III Reich, do exército alemão. A sabedoria (humana) ensoberbece, mas o amor edifica.

Mais exemplos deste tipo de sabedoria encontramos na auto-ajuda, onde passa-se a impressão de que o homem pode se ajudar a ele próprio, por meio do seu esforço, por meio do pensamento positivo. Homens como Oral Roberts, Napoleão Hill, Lair Ribeiro, Augusto Cury, Içami Tiba, entre outros intelectuais e estudiosos acreditam na força do pensamento. De fato, de maneira pragmática isto funciona, mas finda levando o homem à loucura, pois logo ele passará a descobrir que seu conhecimento e sua persistência nos esforços humanos não o levarão a lugar nenhum.

Ele continuará triste, depressivo e não achará a felicidade nele. Estranhamente muitos setores da igreja, estão confiando no homem e passando mensagens de auto-ajuda, que você pode, que você é, que tudo depende de você e de sua vontade, mas veja que estes artifícios em muitas ocasiões só levam o homem a sustentar mais o seu pecado; a aceitar a sua condição pecaminosa e a continuar se acorrentando cada vez mais com base num pensamento paliativo de alívio e de concessão para continuar do jeito que está. Exemplo: homossexuais; libertinagem sexual; ausência de valor à virgindade; fim do pensamento contra o aborto; pesquisas genéticas com embriões humanos assassinados. Para o homem o importante é ser feliz do seu jeito; rejeitam a verdadeira felicidade de Deus, porque a luz lhes incomoda; porque querem continuar pecando.

Outro exemplo desta sabedoria louca é a construção de bombas atômicas que dizimam milhares de vidas; de bombas químicas; de emissão de poluentes; tecnologia que mata; tecnologia que polui; evolução que involui; aquecimento global, etc.

Recentemente houve uma reunião internacional em Copenhauge com a finalidade de discutir o controvertido tema do aquecimento global. Observe se os grandes países concordaram em diminuir a emissão de poluentes? Claro que não, pois estão interessados em seus bolsos, são gananciosos e assim vão produzindo mais desmatamento, mais erosão, mais caos na biosfera. Sabedoria louca.

I Coríntios 3:19 nos diz: “Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; porquanto está escrito: Ele apanha os sábios na própria astúcia deles.”

1.3. Sabedoria que perverte os padrões de espiritualidade.

Romanos 1:21,22

Deus demonstra a sua existência no universo; observe os princípios de vida; causalidade, ordem, entre outros. A natureza aponta para um criador. Os homens chegam a um certo conhecimento de Deus, mas negam que ele existe; se tornam nulos, acreditando estarem achando a sabedoria estão cada vez mais caminhando para a perdição; achando que são sábios tornaram-se loucos (Sabedoria louca).

Deixaram de adorar ao Criador para adotar um padrão de idolatria da criatura.

Ao não considerarem a verdadeira adoração, buscam substitutos em ídolos. Sejam ídolos feitos por mãos humanas, sejam ídolos criados em seus corações.

Exemplo disto: Isaías 45:20; Salmos 115:3-8,

Outros ídolos: homens, modelos, livros (Sartre), etc.

Quando o homem busca a sua própria sabedoria, daquilo que pode sentir e ver, ele vai atrás de materializar aquilo que é espírito. Os adoradores adoram em espírito e em verdade. É uma sabedoria louca a que fabrica ídolos que nada podem fazer; que saem em procissão carregando suas imagens, que não ouvem o segundo mandamento: “não farás para ti imagens de escultura.”

1.4. Sabedoria que perverte os padrões de sexualidade.

Tramita no Congresso Nacional um projeto de lei (PL 122) que visa dar amplos poderes ao homossexual. Sem sombra de dúvidas, a sociedade brasileira, e todo o mundo, passa por um processo de perversão sexual, com mensagens de práticas sexuais as mais aberrantes possíveis. Esta exposição de liberalismo na grande mídia e através de outros porta-vozes tem gerado um homossexualismo desenfreado em nossa sociedade.

Este padrão está atingindo grande parcela da sociedade. Um certo rapaz me disse que o futuro da humanidade era ser bi. Que em pouco tempo menos de 10% da população seria heterossexual. Romanos 1:23,24. A Sabedoria dos direitos universais de 1948; a sabedoria da não discriminação; a sabedoria da formação de uma casta privilegiada, somente porque infelizmente boa parte da elite social é homossexual. Deus está entregando o homem a idolatria, a prazeres, a lascívia e morte, porque os homens não o tem conhecido em sua sabedoria. Uma sabedoria que casa homossexuais em templos evangélicos; uma sabedoria que tolera o pecado sexual; uma sabedoria frouxa, louca, anti-natural. Uma sabedoria que distribui preservativos como uma suposta solução para o problema da AIDS. Uma sabedoria que estimula o carnaval, o sexo livre no carnaval e nos festivais, usando como pretexto a prevenção. Sabedoria louca que aumenta os índices de iniciação sexual precoce, de abortos induzidos, de mortes prematuras em parto, de homossexualidade, de AIDS, DST’s, desintegração familiar, entre outras coisas. Uma sabedoria que estimula os adolescentes a fazer sexo cada vez mais precocemente. É esta sabedoria que o homem está aclamando como rainha e gerando uma sexualidade anômala, fruto da anomalia maior do coração humano.

 

 

  1. A LOUCURA SÁBIA

“Aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura da pregação.” Romanos 1:21 b.

Deus resolveu salvar os homens por meio de algo considerado louco e insignificante por parte dos homens: a pregação. De acordo com o entendimento humano, a escolha de Deus em salvar os homens pela loucura da pregação foi meramente uma conseqüência da recusa dos sábios deste mundo em reconhecer a Deus. De acordo com a Palavra de Deus, esta escolha devidamente aplicada no tempo e no espaço, tem seus primórdios no decreto soberano de Deus, na doutrina da eleição, no “Cordeiro morto antes da fundação do mundo”.

Deus decidiu que o homem o rejeitaria, que o povo de Israel o rejeitaria, mas um povo especial o receberia (a Igreja) e seria salva; os grandes rabinos, os doutores da lei e os sábios deste mundo precisaram rejeitar o Salvador e levá-lo à morte para que este se tornasse o Salvador daqueles que aceitassem o seu sacrifício expiatório, por meio da graça divina.

  1. a. O meio de salvação considerado louco é sábio.

Que meio é este, se não a Palavra de Deus? Observemos que Deus poderia ter trazido salvação ao homem por meio do exemplo, por meio da natureza, de maneira sobrenatural, sem ajuda de nenhum meio exterior, porém a Palavra de Deus nos deixa manifesta de maneira clara e patente que o meio escolhido por Deus foi a pregação da Palavra, a proclamação do Kerigma; não foi a exposição de humanismo; não foi a pintura; não foi uma teologia morta; não foram os arroubos de oratória; não foram as riquíssimas catedrais, nem a submissão a um padrão meramente humano; o meio escolhido por Deus para salvar foi a proclamação do Evangelho: “e assim a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo.” (Romanos 10:17).

Porém até a pregação, não é pregação em si só; não é a pregação das confabulações humanas; não é a pregação dos ideais humanitários; o meio de salvação não é mera pregação; pois isto até os políticos fazem, mesmo que de maneira distorcida; trata-se, isto sim, da real proclamação do Kerigma, da mensagem de salvação, das palavras de Cristo. Que palavras são estas? São palavras loucas aos olhos do homem; palavras desprezadas pelos fariseus; palavras que transformavam pessoas, mas que geravam intrigas e revoltas; palavras que geravam ciúmes, coisa mesma profetizada por Cristo ao dizer que suas palavras (o seu evangelho) trariam divisão. Palavras de condenação ao pecador depravado e à religiosidade morta em meras teorias interesseiras e narcisistas; as palavras de Cristo são consideradas loucas, pois somente são inteligíveis mediante ação da Palavra e do Espírito Santo, porque o “homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.”  Os fariseus ouviram as mensagens de Jesus e a palavra da ressurreição e o acusaram de ser um embusteiro (um enganador) e assim tramaram contra sua Palavra, tratando de negá-la. Até para os próprios discípulos foi doloroso o processo de confirmação da ressurreição, mas mediante a graça de Jesus, eles de fato compreenderam pelo Espírito Santo e foi patenteado aos seus corações a loucura do Evangelho: Cristo morto salva o pecador porque ressuscitou e tem poder para vencer a morte.

Esta mensagem incomoda porque não é entendida pela humanidade: a humanidade entende bem a mensagem da valorização da matéria (dinheiro), da aparência (beleza) e da manipulação (poder). Isto é sabedoria louca. O dinheiro não nos acompanhará após a morte; quanto à aparência o próprio tempo se encarrega de ir lhe enterrando; quanto ao poder, a história dá fartas evidências de que ele é passageiro, perecível e sem real valor essencial. Jesus mostra que esta sabedoria da luxúria e do prazer é louca no caso de Lucas 12: 16-21. Jesus pregou abertamente quanto ao apego ao supérfluo e transitório; sua pregação era eficaz, importante e eterna: a vida eterna, as insondáveis riquezas de Cristo. Louco é aquele que morrerá e terá como eterno local de regalia e descanso um inferno totalmente oposto a idéia de sombra e água fresca. O que é tido como louco ao rejeitar o mundo e os seus prazeres entrará no gozo do seu Senhor. Foi justamente por rejeitarem estas palavras (o Evangelho) que os homens o mataram, tentando acabar com qualquer vestígio destas palavras que afrontavam seus corações corruptos; porém ao matarem o Filho de Deus, colaboraram para o propósito eterno de redenção dos santos eleitos do Senhor. Isto é maravilhoso de ser compreeendido. Pois o Evangelho não é mera letra nem loucura; o Evangelho é o próprio Cristo, poder para transformar e glorificar, mesmo que apresentado por meio da teologia da cruz; enquanto que a teologia da prosperidade do mundo, mesmo que apresentada pela figura dos desfrutes e deleites dos prazeres do mundo terá como ganho a “teologia” de uma eterna condenação.

Eu faço a seguinte pergunta: Afinal, quem é o real louco nesta história?

Jesus Cristo é o próprio Evangelho que transforma homens (coisa que o mundo não faz, pois os homens já são pervertidos e vão de mal a pior; o mundo conforma o homem cada vez mais à sua imagem – de Satanás; o Evangelho por sua vez transforma a imagem de Deus pervertida no homem e o conforma à real imagem de Cristo. Este poder para transformar e salvar o pecador está na proclamação do Evangelho (Cristo).

Compare Romanos 1:16 com I Coríntios 1:24.

Romanos 1:16 – “Pois não me envergonho do Evangelho, que é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê…”

I Coríntios 1:24 – “…pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus.”

A real loucura aos olhos dos homens é esta pregar Cristo (o Evangelho) e sua mensagem (o Evangelho) ao pecador. Quando começamos a intelectualizar o Evangelho e nos enclausuramos nas masmorras do “afastamento e da vergonha da afronta necessária: padecer por crer em Cristo”, estamos muito próximos de aceitar os prêmios do diabo que poderão conduzir o homem diretamente para o inferno. O Evangelho é mais sábio que o mundo!

 

  1. B. A loucura e a fraqueza de Deus são mais sábias que os homens.

É esta coisa que é considerada louca e escandolosa para os judeus, (a morte de um homem salvar os pecadores) e fraca para os sábios deste mundo por não passar de um mero capricho e de uma fraqueza tamanha ao ponto de anular aquilo que é mais importante em si: o ego. Deus subverte estes padrões e mostra aos judeus que a crucificação de Cristo era necessária para realizar o sacrifício eficaz e mostra aos gentios que a real sabedoria é aquela que humilha o engodo de nossas almas: o de que podemos nos salvar por meio de nosso próprio esforço.

Os judeus esperavam seu líder cavalgando em um grande cavalo, vindo para tomar o lugar de César sobre o mundo e expandir os domínios judeus por toda a terra; eles viam o Messias como o Libertador político, rico e pomposo. Ao se depararem com um homem pobre, semi-nu, apregoado em uma cruz anatematizante romana, eles simplesmente se escandalizaram e acreditaram ser aquilo um ultraje às profecias. Leram as profecias gloriosas mas se esqueceram de Isaías 53, do Salmo 22, entre outras.

Os romanos criam na sabedoria humana, no saber por si só; na filosofia; nas novidades do conhecimento e se encharcavam de si; não aceitavam nenhum padrão de restrição; achavam que o real conhecimento era libertador; porém se tornaram libertinos e escravos do vinho, da pederastia, dos vícios, das práticas sexuais obscenas, dos assassinatos, entre outras coisas. A sabedoria dos gregos os levou à perversão. A suposta “falta de sabedoria” e a “fraqueza” de uma fé não baseada na virtude humana, por sua vez, fez o contrário, libertou homens do tédio, dos vícios, da ociosidade e os fez lutadores pelo ideal da real liberdade: Cristo. Paulo pregou este Cristo aos filósofos e poetas gregos em Atenas. Eles o menosprezaram, mas para um pequeno grupo o evangelho foi real poder de Deus.

II C. A loucura de Deus é sábia porque se gloria no Deus-Homem e não nos homens.

O Evangelho é Crístico e não humanista. A base do humanismo é condenada categoricamente na Bíblia. Existe uma passagem que mostra de maneira bem clara que o padrão humanista de medida é vão, nulo e sem sentido. Leiamos  I Coríntios 3:21, parte a: “Portanto, ninguém se glorie nos homens.” Ao lermos sobre os grandes vultos da história  nos encantamos com eles; às vezes até entre os grandes vultos do Cristianismo, escolhemos um para ser o nosso herói. Quando porém fazemos isto, de maneira incondicional, estamos escolhendo meros pecadores para representarem o nosso maior ideal de beleza e sabedoria. Deus diz que destruiria a sabedoria dos sábios: foi o que ele fez com Nietzsche, com Hitler, com Shopenhauer, com Alexandre, entre tantos outros já citados; Deus mostrou que as pequenas coisas (humildes e humilhadas) são aquelas que envergonham coisas “grandes”. De nada vale ter a aparência da beleza se não se tem ela em si.

“Ele apanha os sábios na própria astúcia deles.” Romanos 3:19.

“O Senhor conhece os pensamentos dos sábios, que são pensamentos vãos.” Romanos 3:20.

Se tivermos em que nos gloriar, esta pessoa deveria ser Cristo, não porque é um homem apenas, mas porque é o Deus-homem, aquele que é o nosso mediador diante de Deus, aquele que advoga por nós diante do Juiz Eterno, aquele que traz as reais verdades de Deus para nós, aquele que nos adverte contra os perigos do apego ao mundo. Este sim merece o nosso crédito, pois ele é o Evangelho, ele é a nossa salvação, por mais que isto seja considerado louco.

Conclusão:

Fica o desafio para você: escolha entre o que é mais sábio e o que é mais louco: Cristo ou o mundo?

Que Deus te faça compreender as Suas Eternas Verdades. Amém.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s